Agressão de PM em batalha na ZN provoca comoção nacional - O Poti News

Agressão de PM em batalha na ZN provoca comoção nacional

Uma abordagem policial realizada no último sábado (26), na Zona Norte de Natal, tem causado revolta em moradores da cidade e pessoas de todo o país. Vídeos divulgados nas redes sociais mostram a Polícia Militar do estado fazendo uma abordagem truculenta durante uma batalha de rimas, onde aconteciam as seletivas para as disputas nacionais de rap. Confira o vídeo: 

O evento foi promovido pelo coletivo “Batalha Clandestina”, que integra a cena do rap na Zona Norte de Natal. O grupo estava sediando a 4ª pré-seletiva do Rio Grande do Norte para o Duelo Nacional de MC’s, maior competição nacional de freestyle. 

Nos registros, policiais não identificados abordam diversos jovens, fazem ameaças e agridem um dos artistas presentes com um tapa, após o mesmo dizer “Oxe”. Segundo comunicado oficial do coletivo, a batalha acontecia normalmente quando ocorreu a ação: “Com uma programação diversa de muito Hip Hop, um público que continha jovens, crianças e mulheres, inclusive grávidas, o evento estava sendo transmitido ao vivo do começo ao fim nas redes sociais. Mas foi interrompido pela abordagem da polícia militar, que não se conteve em fazer seu trabalho e partiu, de forma totalmente arbitrária e autoritária, para agressão contra um companheiro artista que, nessa noite, se apresentou com um pocket show de Rap”, diz a nota de repúdio. Apesar do ocorrido, o evento seguiu normalmente após a abordagem.

A ação da PM foi duramente criticada por fãs de rap e artistas em todo o Brasil. O Portal Rap Nacional (instagram.com/rapnacionalofficial), que acumula mais de 500 mil de seguidores nas redes sociais, publicou o vídeo como uma forma de denúncia, fazendo com que o conteúdo tomasse proporções nacionais. O famoso rapper MV Bill comentou na publicação: 

Parlamentares potiguares também teceram críticas aos policiais. A deputada federal Natália Bonavides e a vereadora de Natal, Brisa Bracchi, denunciaram o caso em suas redes sociais, qualificando como violência contra a juventude negra: 

Pedro Gorki, ativista e suplente de vereador (PCdoB) também publicou o vídeo em suas redes, pedindo por justiça: 

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte ainda não disponibilizou um comunicado oficial sobre o caso.