Barragem Armando Ribeiro atinge 74,4% da capacidade - O Poti News

Barragem Armando Ribeiro atinge 74,4% da capacidade

Média do volume de água, considerando todas as reservas hídricas monitoradas pelo Igarn no RN, é de 69%, a melhor marca em 12 anos. Foto: Igarn.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, o principal reservatório hídrico do Rio Grande do Norte, atingiu 74,4% de sua capacidade total de volume de água, segundo dados atualizados pelo Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn).

Na última terça-feira (9), o Igarn havia informado que a barragem alcançou os 70% de ocupação, registrando sua melhor marca desde 2012.

O monitoramento dos níveis dos reservatórios potiguares indicou que a Armando Ribeiro Gonçalves acumulou 1,7 bilhão de m³ de água, próximo dos 2,3 bilhão de m³ de sua capacidade total.

Situação dos reservatórios no RN

A média total do volume acumulado nos reservatórios do Rio Grande do Norte estava em 69% até este domingo (14), representando o melhor desempenho em 12 anos. Em janeiro, mesmo com 50% de acúmulo de água nos reservatórios, a média geral já era a melhor em 12 anos no estado, conforme informava o Igarn.

Além do monitoramento dos níveis de água, o Instituto informou que tem acompanhado de perto situações críticas em alguns reservatórios, como o Açude Pataxó, em Ipanguaçu, e o Açude Municipal de Venha-Ver.

Na última semana, a barragem do Trairi, em Tangará, sangrou após 13 anos de espera, o mesmo período que o Gargalheiras passou sem ultrapassar os 100% da capacidade. A barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior manancial do estado, abriu o domingo com 76% de sua capacidade total de água.

Outro reservatório próximo da possibilidade de sangria é a barragem de Umari, em Upanema, que atingiu 91% de seu volume de água.

Dentre os reservatórios com volumes de água acima de 70%, alguns estão próximos de sangrar, segundo o relatório atualizado do Igarn. São eles:

  • Açude Santo Antônio de Caraúbas, em Caraúbas, com 98% de ocupação;
  • Flechas, em José da Penha, com 83% de ocupação;
  • Barragem de Pau dos Ferros, com 71,6% de ocupação;
  • Açude público de Cruzeta, com 90% de ocupação (marca não alcançada desde 2011).