Carlos Bolsonaro pode acessar as investigações da PF sobre a "Abin paralela", decide Moraes - O Poti News

Carlos Bolsonaro pode acessar as investigações da PF sobre a “Abin paralela”, decide Moraes

Vereador teve celulares apreendidos pela PF após ser alvo de buscas na operação que investiga o monitoramento ilegal de autoridades. Foto: Ascom/CMRJ.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu autorização ao vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) para ter acesso às investigações da Polícia Federal (PF) relacionadas ao monitoramento ilegal de autoridades pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Moraes esclareceu que, uma vez concedida a permissão aos advogados devidamente constituídos, o acesso aos autos permanecerá disponível até o encerramento da investigação.

A PF realizou buscas na segunda-feira (29) no gabinete do vereador na Câmara Municipal do Rio, em sua residência na Barra da Tijuca e na casa da família em Angra dos Reis. Durante a operação, foram apreendidos dois celulares e um computador de Carlos Bolsonaro, além de anotações relacionadas à transmissão ao vivo da família Bolsonaro no domingo (28).

Polícia Federal realiza buscas na residência de Carlos Bolsonaro

A defesa do vereador alega que os agentes também apreenderam um tablet pertencente a um assessor do ex-presidente Jair Bolsonaro, o qual não estava abrangido no mandado de busca e apreensão.

As investigações da PF buscam esclarecer se Carlos Bolsonaro teve acesso a informações provenientes do esquema clandestino de escuta, relacionado a investigações que envolviam sua família. No mesmo dia das buscas, em Salvador, policiais federais localizaram e apreenderam um computador da Abin com um dos alvos da operação.

Na terça-feira (30), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) demitiu quatro diretores da Abin, juntamente com o diretor-adjunto Alessandro Moretti.

Lula demite diretor adjunto e outros membros da Abin; Planalto cobra reformulação completa da Agência