Chuvas no Rio Grande do Norte superam média esperada no primeiro trimestre de 2024 - O Poti News

Chuvas no Rio Grande do Norte superam média esperada no primeiro trimestre de 2024

Céu nublado com chuva
O fenômeno foi observado em todas as regiões do estado, em especial nas regiões Agreste e Central. Foto: Elisa Elsie

No primeiro trimestre de 2024, o Rio Grande do Norte registrou um volume de chuvas de 454,3mm, marcando um aumento de 45,2% em relação à média esperada para o período, que era de 313mm. Esse fenômeno foi observado em todas as regiões do estado, em especial nas regiões Agreste e Central, que registraram volumes de 57,9% e 56,1% acima do esperado, respectivamente.

Segundo análises realizadas por pesquisadores, o enfraquecimento do fenômeno El Niño foi um dos principais fatores que favoreceram a ocorrência das chuvas. Isso permitiu a aproximação e atuação da Zona de Convergência Intertropical, sistema meteorológico responsável pelas chuvas no Nordeste nesta época do ano, em conjunto com o aumento das temperaturas nas águas superficiais do oceano Atlântico.

“Contrariando as previsões iniciais avaliadas pelas equipes dos centros de pesquisa do país, de que o mês de março seria seco no RN, observamos o gradual afastamento do El Niño desde janeiro e verificamos um início de ano mais chuvoso, com acumulados acima da média neste primeiro trimestre”, explicou o chefe da unidade de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot.

Em comparação ao mesmo período de 2023, os primeiros três meses de 2024 foram ainda mais chuvosos, com uma média de 391,8mm de chuva no RN em 2023.

Quanto às previsões para os próximos meses, a expectativa é de chuvas dentro dos valores normais para o próximo trimestre (abril, maio e junho), com um acumulado mínimo previsto de 370,2mm. “Com uma forte tendência das condições no oceano Pacífico entrarem numa fase de neutralidade durante os próximos meses, e as águas superficiais do oceano Atlântico Tropical Sul manterem-se mais aquecidas do que o normal, as chuvas durante os próximos três meses (abril, maio e junho), deverão apresentar volumes dentro da normalidade nas Regiões Oeste, Central e Agreste e um pouco acima do normal na Região Leste”, analisou Bristot.

Sobre as temperaturas, as análises apontam que as médias deverão ficar um pouco acima do normal devido à influência das águas mais aquecidas do Oceano Atlântico, o que deverá manter a condição da umidade relativa do ar acima do normal.

Veja a média de chuvas- Janeiro, Fevereiro e Março 2024

Agreste

Esperado 234,8mm

Observado 370,8mm

Central

Esperado 307,6mm

Observado 480mm

Leste

Esperado 319 mm

Observado 436,5mm

Oeste

Esperado 390,7mm

Observado 530,5mm