Complexo eólico em Parelhas, que gerará energia para a Amazon, recebe financiamento de R$ 1 bilhão da Sudene - O Poti News

Complexo eólico em Parelhas, que gerará energia para a Amazon, recebe financiamento de R$ 1 bilhão da Sudene

Eólica
Durante a fase de instalação, o Complexo Eólico Seridó tem o potencial de gerar 1.360 empregos diretos e 5.440 empregos indiretos. Foto: Markus Distelrath.

A EDF Renewables lidera o desenvolvimento do Complexo Eólico Seridó, entre o Rio Grande do Norte e a Paraíba, composto por 10 Sociedades de Propósito Específico (SPEs), que terá uma capacidade instalada total de 247,5 megawatts (MW), equivalente ao consumo anual de 700 mil famílias brasileiras.

O investimento total para o projeto ultrapassa R$ 1 bilhão, com parte significativa desses recursos provenientes do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), aprovado pela Diretoria Colegiada da Sudene. O FDNE financiará as Centrais Geradoras Eólicas Seridó III e VI, localizadas nos municípios de Parelhas (RN) e Santa Luzia (PB), respectivamente. Esses parques representam um investimento total de R$ 307,5 milhões, com R$ 184,5 milhões (60%) provenientes do fundo da Sudene, e a operação de financiamento será conduzida pelo Banco do Brasil.

O Seridó III, com capacidade instalada de 27 MW, será composto por seis aerogeradores, enquanto o Seridó VI, com capacidade de 18 MW, contará com quatro aerogeradores, todos fornecidos pela renomada fabricante Vestas.

Danilo Cabral, superintendente da Sudene, destacou a importância desses investimentos para a região Nordeste, afirmando que “o Nordeste lidera a transição energética do Brasil, com a produção de mais de 80% da energia renovável do país“.

Parte do Complexo Eólico Seridó, o Seridó VI, integra o primeiro parque eólico da Amazon no Brasil, representando o segundo empreendimento de energia renovável da empresa no país. Além disso, no ano passado, a Amazon anunciou um investimento em um parque solar de 122 MW, visando atender às metas de emissões líquidas zero até 2040 em todas as suas operações.

Durante a fase de instalação, o Complexo Eólico Seridó tem o potencial de gerar 1.360 empregos diretos e 5.440 empregos indiretos, contribuindo para o desenvolvimento econômico local. Essas estimativas abrangem a construção do complexo, incluindo as SPEs que não estão sob o financiamento do FDNE.

Além dos benefícios econômicos, o projeto inclui iniciativas de responsabilidade social, como o Projeto de Capacitação Profissional Seridó, em parceria com o SENAI-RN, que formou 70 profissionais, incluindo armadores de ferro e pedreiros de alvenaria. Outras ações incluem programas de turismo de base comunitária, instalação de sistema fotovoltaico em hospital, apoio a projetos de educação ambiental e melhorias na infraestrutura regional.

O Complexo Eólico Seridó também contempla a instalação de uma linha de transmissão com aproximadamente 45 quilômetros de extensão para interligação com a subestação coletora, sob responsabilidade da Neoenergia Santa Luzia Transmissão de Energia S.A. O projeto, que recebeu aprovação da Sudene em agosto do ano passado, representa um importante avanço para a região, alinhado às perspectivas de crescimento sustentável e transição energética no Brasil.