E se eu fosse Paulinho, Natália ou Carlos Eduardo? - O Poti News

E se eu fosse Paulinho, Natália ou Carlos Eduardo?

Um amigo me perguntou essa semana o que eu faria nessa fase de pré-campanha, após 6 de abril, se fosse Paulinho Freire, Natália Bonavides ou Carlos Eduardo.

Dei a resposta mais óbvia possível. Disse que Paulinho e Natália que estão em desvantagem nas pesquisas precisariam trabalhar muito para se aproximarem de Carlos Eduardo e o ex-prefeito precisaria atuar para se manter distante dos concorrentes.

Mas depois fui de fato olhar para os movimentos dos três pré-candidatos a prefeitura de Natal. É perceptível que nem sempre o óbvio é enxergado ou praticado por esses projetos. E isso, por incrível que pareça, pode estar sendo ruim para eles.

Então como diria um padre amigo meu “o óbvio precisa ser dito”. Vou dizer uma ação (não vou entregar um planejamento completo né?) que faria para cada um.

E se eu fosse Paulinho Freire… pediria para cada um dos 15 vereadores que me apoiam organizar uma reunião em cada zona administrativa da cidade. Só aí seriam 60 boas reuniões espalhadas em diversos bairros. Complementaria a agenda com reuniões organizadas pelos demais pré-candidatos. Paulinho teria pelos menos 60 dias de uma intensa agenda em contato direto com a população. Impossível não crescer!

E se eu fosse Natália Bonavides… passaria por cima de qualquer questão pessoal ou ideológica e procuraria os deputados Ubaldo Fernandes e Eudiane Macedo e o ex-deputado Rafael Motta. Ouviria seus desabafos, suas insatisfações e buscaria o apoio e o engajamento deles ao meu projeto. Organizaria uma agenda intensa com Eudiane (na Zona Norte) e com Ubaldo (na zona leste) movimentando o mundo que existe fora da bolha petista. Complementaria minha agenda com a vereadora Ana Paula (MDB) na Zona Sul e com os parlamentares (vereadores e deputados) do PT. Convidaria o deputado Hermano Moraes e o ex-deputado Rafael Motta para participarem da minha coordenação de campanha e com eles faria uma agenda de reuniões, conversas e visitas. Impossível não crescer!

E se fosse Carlos Eduardo… observaria a movimentação dos meus concorrentes. Se eles fossem para a rua em busca de apoio e votos, eu montaria uma agenda de visitas aos bairros para movimentar minha campanha. Mas se os concorrentes permanecessem como estão atualmente eu manteria minha rotina de caminhadas matinais, meus banhos de mar diários, manteria minha boa alimentação para estar pronto e saudável para tomar posse no dia 1° de janeiro de 2025.

TRE julgará hoje pedido de desfiliação de Adjuto Dias

O TRE deverá julgar na sessão desta quinta-feira (4) o pedido de justa causa do deputado estadual Adjuto Dias para ter o direito a desfiliação partidária sem correr o risco de perder do mandato.

A juíza relatora da ação, Ticiana Nobre, já havia negado, na terça-feira (2), provimento ao agravo regimental interposto por Adjuto Dias, contra decisão da magistrada indeferindo liminar, no dia 26 abril, para deixar o MDB.

Ao negar a liminar, Ticiana Nobre, alertou para o fato do deputado ter solicitado ao MDB, sua desfiliação, tardiamente e ainda mais tarde recorrer ao TRE para tentar resolver a situação sem considerar o curto espaço de tempo que existia para o encerramento do prazo de filiação para os candidatos que concorrerão as eleições municipais de 2024.

Em sua justificativa, a juíza afirmou que “somente em fevereiro deste ano o deputado pleiteou a sua desfiliação junto à agremiação e, apenas agora, há mais de um mês desde o protocolo do requerimento administrativo perante o partido e a poucos dias para o encerramento do prazo para a filiação partidária (06 de abril), aciona esta Justiça na tentativa de resolver a situação”.

Desde janeiro venho afirmando aqui nesta coluna que o deputado Adjuto Dias teria dificuldade em viabilizar sua candidatura por falta de iniciativa no sentido de solicitar ao partido e a justiça sua desfiliação partidária.

Jaime Calado deixa Governo do Estado para disputar Prefeitura de São Gonçalo

Jaime Calado (PSD) deixou a secretaria de desenvolvimento econômico (Sedec) para concorrer a prefeitura de São Gonçalo do Amarante.

Jaime foi prefeito de São Gonçalo em outras duas oportunidades e teve gestões muito bem avaliadas pela população do município.

Na disputa, Jaime, enfrentará o atual prefeito Eraldo Paiva que pertence aos quadros do Partido dos Trabalhadores (PT).

Vereador Wolney França, de Parnamirim, se filiou ao PSDB

O vereador Wolney França, presidente da Câmara Municipal de Parnamirim, finalmente se filiou ao PSDB do seu colega Prof. Ítalo e do presidente da ALRN deputado Ezequiel Ferreira.

Wolney França é pré-candidato a prefeito de Parnamirim pela situação. Ele é um dos cinco candidatos a prefeito ligados a Rosano Taveira.

Seus colegas da situação que também são pré-candidatos (não retiraram candidaturas) são a vice-prefeita Kátia Pires, o vereador Irani Guedes, o secretário Homero Grec e o apresentador Salatiel de Souza.

Vereadora Margarete Regia vai para o Republicanos

A vereadora Margarete Regia, irmã do ex-deputado Albert Dickson, decidiu se filiar ao Republicanos que é comandado pelo prefeito Álvaro Dias.

Margarete flertou com o União Brasil e com a Federação do PT, PV e PC do B. Mas acabou aceitando o convite de Álvaro Dias e integrará uma nominata que tem potencial para eleger uma forte bancada para a Câmara Municipal na eleição de outubro.

Receita recebe mais de 10 milhões de declarações do Imposto de Renda

Nos 19 primeiros dias do prazo, mais de 10 milhões de contribuintes acertaram as contas com o Leão. Até as 17h46 desta quarta-feira (3), a Receita Federal recebeu 10.256.300 declarações. Isso equivale a 23,85% das 43 milhões de declarações esperadas para este ano.

O prazo de entrega da declaração começou às 8h de 15 de março e vai até as 23h59min59s de 31 de maio. O novo intervalo, segundo a Receita, foi necessário para que todos os contribuintes tenham acesso à declaração pré-preenchida, que é enviada duas semanas após a entrega dos informes de rendimentos pelos empregadores, pelos planos de saúde e pelas instituições financeiras.

Novidades

Neste ano, a declaração terá algumas mudanças, das quais a principal é o aumento do limite de rendimentos que obriga o envio do documento por causa da mudança na faixa de isenção. O limite de rendimentos tributáveis que obriga o contribuinte a declarar subiu de R$ 28.559,70 para R$ 30.639,90.

Em maio do ano passado, o governo elevou a faixa de isenção para R$ 2.640, o equivalente a dois salários mínimos na época. A mudança não corrigiu as demais faixas da tabela, apenas elevou o limite até o qual o contribuinte é isento.

Mesmo com as faixas superiores da tabela não sendo corrigidas, a mudança ocasionou uma sequência de efeitos em cascata que se refletirão sobre a obrigatoriedade da declaração e os valores de dedução. Além disso, a Lei 14.663/2023 elevou o limite de rendimentos isentos e não tributáveis e de patrimônio mínimo para declarar Imposto de Renda.

Agência Brasil