Federação Espanhola de Futebol pretende processar jogadora assediada - O Poti News

Federação Espanhola de Futebol pretende processar jogadora assediada

Foto: Hannah Mckay.

A jogadora Jenni Hermoso, da seleção da Espanha, pode ser processada pela Federação Espanhola de Futebol (RFEF) depois de comentários envolvendo o presidente da federação Luis Rubiales, que a beijou sem consentimento logo após a vitória da Espanha na final da Copa do Mundo Feminina sobre a Inglaterra.

Presidente da Federação Espanhola se desculpa por beijo em atleta campeã

O ministro interino da Cultura e Esportes da Espanha, Miquel Iceta, classificou o gesto como “inaceitável”, enquanto a ministra interina para a Igualdade de Gênero, Irene Montero, chamou atenção para a normalização de violências sexuais de menor intensidade.

Logo após o ocorrido, Rubiales divulgou um vídeo pela RFEF no qual lamentou o episódio, reconhecendo o impacto e pedindo desculpas a quem se sentiu afetado. 

Assim que o episódio passou a tomar proporções globais, Hermoso passou a falar que não consentiu com o beijo, versão questionada por aqueles que integram a federação. Já Rubiales se recusou a renunciar. 

Nos últimos dias, o caso ganhou ainda mais peso quando 81 jogadoras espanholas afirmaram que não representarão mais a seleção espanhola enquanto Rubiales não seja destituído do cargo. Além disso, a FIFA suspendeu o presidente por 90 dias e 11 membros da comissão técnica da seleção feminina pediram demissão.

Em comunicado, a RFEF forneceu quatro imagens do abraço entre Hermoso e Rubiales, com uma análise de cada uma delas, argumentando que a atleta teria aplicado força para levantar os pés de Rubiales do chão.

Imagem do abraço entre Hermoso e Rubiales, durante comemoração da vitória da Espanha na Copa do Mundo Feminina

Enquanto isso, o sindicato de jogadores Futpro, que representa Hermoso, afirmou que a atleta teria dito que “Em nenhum caso, tinha a intenção de levantar o presidente enquanto eles se abraçavam no pódio”.

Ainda por meio de nota, a Federação acrescentou que, “A RFEF e o Presidente, dada a gravidade do conteúdo do comunicado do sindicato Futpro, iniciarão ações judiciais correspondentes”.