Greve nas universidades: Proifes entra com ação contra o Andes - O POTI

Greve nas universidades: Proifes entra com ação contra o Andes

A ação alega a ocorrência de condutas antissindicais por parte do Andes. Foto: Reprodução.

A Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Proifes-Federação) entrou com uma ação judicial contra o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes). A ação alega a ocorrência de condutas antissindicais por parte do Andes.

De acordo com a Proifes, o Andes tem “continuamente exposto o Proifes-Federação por meio de postagens em redes sociais e em seu site, utilizando-se de linguagem depreciativa, incorrendo em falsas acusações e sem apresentar qualquer prova ou justificativa para tal.” No processo, foram anexadas diversas notícias do próprio site do Andes, bem como prints de redes sociais, que, segundo a Proifes, ridicularizam a Federação e promovem a desinformação.

A Proifes também relatou que a situação se agravou quando o Andes publicou um comunicado em seu site orientando suas seções sindicais a ajuizarem ações contra a Proifes-Federação em todo o território nacional. Até o momento, foram identificadas 16 ações semelhantes em diversos estados.

A Federação ressalta que a prática de atos antissindicais é expressamente proibida pelo Ordenamento Jurídico Brasileiro e por convenções e recomendações da Organização Internacional do Trabalho (OIT). A Proifes defende que tais práticas são inaceitáveis por parte de entidades sindicais.

A ação judicial da Proifes busca reparação por danos morais devido aos danos causados à sua imagem e solicita uma medida de urgência para que o Andes cesse as práticas antissindicais contra a Federação. Além disso, a ação pede que o Andes evite qualquer ato que viole a imagem e a honra do Proifes, especialmente no que se refere à representatividade e legitimidade da entidade, sob pena de multa por cada ato de desobediência.

“Basta de agressões e violência. A democracia exige que as disputas tenham o mínimo de civilidade e ocorram dentro dos princípios republicanos. O Proifes-Federação não vai tolerar mais ações truculentas e violentas contra a entidade”, afirmou Wellington Duarte, presidente da Proifes-Federação.