Janeiro foi mês mais quente já registrado no mundo, afirmam cientistas - O Poti News

Janeiro foi mês mais quente já registrado no mundo, afirmam cientistas

Foto: Tania Rêgo/EBC.

O Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus (C3S), da União Europeia, divulgou que janeiro de 2024 foi o mais quente já registrado desde 1950, marcando um recorde e reforçando preocupações sobre o impacto das mudanças climáticas em escala global.

O mês passado superou o antigo recorde estabelecido em 2020, confirmando uma tendência preocupante de aumento das temperaturas impulsionado pelas atividades humanas e pelo fenômeno climático El Niño.

Samantha Burgess, diretora-adjunta do C3S, enfatizou que além do janeiro mais quente já registrado, houve um aumento de mais de 1,5°C em relação ao período pré-industrial ao longo dos últimos 12 meses. Ela lembrou da urgência de reduzir rapidamente as emissões de gases de efeito estufa como uma medida essencial para conter o aquecimento global.

Calor matou mais que deslizamentos de terra no Brasil, aponta estudo

Cientistas norte-americanos alertam que há uma chance de que 2024 seja ainda mais quente do que o ano anterior, com 99% de probabilidade de estar entre os cinco anos mais quentes já registrados. Apesar de sinais de enfraquecimento do El Niño, as temperaturas médias globais da superfície do mar em janeiro permaneceram as mais altas já registradas para este mês.

O Acordo de Paris, estabelecido em 2015, visa conter o aquecimento global abaixo de 1,5ºC para evitar consequências graves e irreversíveis. Embora o mundo tenha excedido temporariamente esse limite nos últimos 12 meses, ainda não violou a meta do acordo, que se refere à temperatura média global ao longo de décadas.