Natal: INSS anuncia fechamento de Agência Sul e sindicato faz alerta - O Poti News

Natal: INSS anuncia fechamento de Agência Sul e sindicato faz alerta

Contrato de aluguel do prédio acaba em abril. Foto: Reprodução.

A Agência da Previdência Social (APS) Sul, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que fica no bairro de Lagoa Nova, irá fechar e os atendimentos ficarão concentrados no prédio da Gerência Executiva do INSS, na Rua Apodi, bairro da Cidade Alta. A data de fechamento ainda não foi anunciada, mas o contrato de aluguel do prédio onde a unidade está localizada encerra em abril e não será renovado.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Federais em Previdência, Saúde e Trabalho do Estado (Sindprevs-RN), o fechamento será oficializado no próximo dia 27, durante uma visita da Gerência Executiva do INSS Natal à unidade. É calculado que a sede realiza cerca de 5 mil atendimentos por mês em Natal.

A decisão faz parte do processo de adequação à nova política de melhoria de espaços de trabalho e economia de recursos, já que o aluguel do prédio da APS Sul, na Avenida Nascimento de Castro, tem um custo de cerca de R$ 500 mil por ano. O Sindprevs-RN afirma que sugeriu alguns prédios que poderiam ser alugados pelo INSS, mas não houve acordo.

O sindicato avalia que o fechamento causará um aumento significativo de demanda, sobrecarregando outras unidades de Natal e Parnamirim. “Essa é uma das agências de maior movimento em Natal, com uma abrangência de quase 200 mil pessoas. Atendimentos agendados, espontâneos e de advogados, perícias médicas, avaliações sociais, reabilitações profissionais e muitos outros serviços acontecem no local. O seu fechamento representa um retrocesso na presença do INSS na cidade”, avalia Cícero de Nogueira, um dos diretores.

Já o INSS afirma que o fim da agência não acarretará em prejuízos nos atendimentos: “Os atendimentos estão garantidos, em sua integralidade, sem prejuízo à população que procura os serviços”. O órgão informou ainda que “em momento oportuno, por meio da imprensa e dos seus canais oficiais, dará ampla divulgação à mudança”.

O sindicato procurou representantes do Governo do Estado, Assembleia Legislativa, Câmara Municipal e Federal para provocar audiências públicas contra o fechamento da unidade.