Onda de calor: como cuidar dos pets durante períodos de temperaturas elevadas - O Poti News

Onda de calor: como cuidar dos pets durante períodos de temperaturas elevadas

Cachorro calor
A hidratação dos pets deve ser reforçada em dias de calor. Foto: Banco de imagens.

Com a onda de calor que afeta diversas regiões do Brasil, a preocupação com o conforto e bem-estar dos animais de estimação se torna uma prioridade para tutores dedicados. Assim como os seres humanos, os pets também sentem os efeitos do calor escaldante, e é fundamental adotar medidas que os ajudem a enfrentar as altas temperaturas de maneira segura e saudável.

Nesta época do ano, em que os termômetros registram recordes, os tutores se mobilizam para garantir que seus companheiros de quatro patas estejam protegidos contra o calor excessivo. Os cães, por exemplo, regulam sua temperatura principalmente pela respiração ofegante, o que pode ser insuficiente durante os dias mais quentes.

A médica veterinária Wilma Dantas compartilha dicas essenciais para ajudar os animais a lidar com o calor. Confira!

Água fresca e picolés

cachorro comendo fruta
Melancia é uma das frutas permitidas para os cachorros. Foto: Juliana Cavalcanti.

Uma das orientações é manter sempre água fresca disponível, podendo até mesmo adicionar pedras de gelo ao recipiente. Além disso, é possível fazer picolés naturais misturando a fruta favorita do pet com água ou água de coco, congelando a mistura em formas e servindo como um petisco refrescante.

“Gelo é uma coisa que todo mundo costuma oferecer para os pets. Mas não precisa ser apenas o gelinho do congelador. Ele pode ser tanto de pedaços de frutas congeladas, quanto pode pegar a própria fruta, bater só com água ou água de coco e também transformar em picolés, em forminhas próprias, de gelo ou em depósitos de plástico para virar grandes blocos”, sugere a veterinária.

Algumas frutas permitidas são: maçã, banana, pêra, melancia, melão, abacate e morango.

Já para os gatos, que gostam muito de pegar coisinhas congeladas, a dica é utilizar os próprios sachês. “O tutor pode pegar o sachê que ele já tem costume de comer, misturar com água e fazer cubinhos de gelo. Eles se refrescam bastante,”, indicou a doutora Wilma.

Ventiladores

O uso de ventiladores é recomendado, mas com algumas precauções. O ambiente pode ser arejado com ventiladores e umidificadores de ar, mas é importante evitar que o vento direto incida nos olhos dos animais. Em algumas raças, como o Bulldog Inglês, o uso de ar-condicionado pode ser fundamental, pois esses cães têm maior dificuldade em regular a temperatura corporal.

“Manter os animais em ambientes mais refrescante é fundamental. O ideal é que seja um ambiente ventilado. Se estiver mais quente, pode colocar um ventilador e dependendo da raça, até deixar o ar-condicionado ligado por um tempinho só para dar uma refrescada”, comentou a veterinária.

Horário para passeio

Para os passeios com os pets, é essencial escolher horários adequados, evitando os momentos mais quentes do dia para evitar queimaduras nas patinhas devido ao piso quente. O uso de roupas ou a tentativa de cobrir as patinhas não são recomendados, pois podem agravar o desconforto dos animais.

Tosa e banho

A tosa preventiva é uma alternativa para ajudar os cães a enfrentar o calor, mas é necessário verificar se o animal está apto para o procedimento. Banhos de mangueira e brincadeiras na piscina também são opções para refrescar os pets e ajudar a regular a temperatura corporal do cachorro, mas é importante lembrar de secá-los adequadamente após essas atividades. Ao dar banho nos animais, evite aquecer a água, como costuma ser feito no inverno.

Casinha

Outro aspecto crucial a se considerar é o abrigo do cão. É importante evitar que o animal fique em uma casinha exposta ao sol, pois isso pode resultar em superaquecimento.