PF mira Carlos Bolsonaro em operação sobre “Abin paralela” - O Poti News

PF mira Carlos Bolsonaro em operação sobre “Abin paralela”

A Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão em nova fase da operação sobre a “Abin paralela” do governo Bolsonaro nesta segunda-feira (29/1). Entre os alvos estão o filho do ex-presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), e assessores dele.

Mandados de busca e apreensão são cumpridos na casa de Carlos Bolsonaro e também no gabinete dele na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

A operação é desdobramento de investigação da PF sobre um esquema ilegal de espionagem durante o governo de Jair Bolsonaro.

Segundo as investigações, a Abin foi utilizada para espionar adversários. Políticos e até de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) teriam sido espionados com o uso do software FirstMile.

Uso político da Abin

Na última quinta-feira (25/1) foram cumpridos 21 mandados busca e apreensão, incluindo o deputado federal Alexandre Ramagem (PL), que foi diretor da Abin entre 2019 e 2022 e comandaria o esquema de espionagem ilegal.

Ainda de acordo com as investigações da PF, policiais federais que estavam na cúpula da Abin de Bolsonaro usavam serviços ilícitos para interferir em investigações da Polícia Federal para que prejudicariam filhos do então presidente, como para produzir provas favoráveis a Renan Bolsonaro, filho mais novo de Jair Bolsonaro.

Fonte: Metrópoles

Da política para a pancadaria

A noite seguia animada na praia de Pirangi até o encontro entre o prefeito de Ceará-Mirim Júlio César e o deputado estadual Luiz Eduardo.

Adversários na política de Ceará-mirim e de Barra de Maxaranguape os dois se meteram numa confusão que terminou com o registro de um Boletim de Ocorrência feito pelo prefeito Júlio César contra o deputado Luiz Eduardo.

Júlio César, que chegou a fazer exame de corpo de delito, acusou o deputado de agressão. De acordo com a nota emitida pelo prefeito a agressão teria sido sem motivação. Já Luiz Eduardo, também em nota, não negou as acusações, mas destacou que teria sido provocado pelo prefeito e só depois teria reagido.

É lamentável que alguém, em 2024, ainda veja a agressão como a melhor forma de resolver uma divergência.

Coronel Ezequiel

O vice-governador Walter Alves esteve, na última sexta-feira (26), em Coronel Ezequiel para um ato de filiações promovido pelo MDB local.

Na ocasião o vice-governador e presidente estadual do MDB, recebeu a filiação da atual secretária de administração, Talita Dias,que foi lançada pré-candidata à prefeitura da cidade pelo prefeito Boba Marques.

Girão e Paulinho juntos

Os deputados federais General Girão e Paulinho Freire, que são pré-candidatos a prefeito de Natal, se reuniram na última quinta-feira (25) para tratarem sobre a eleição deste ano na capital do estado.

Na reunião decidiram que estarão juntos ainda no primeiro turno da eleição municipal de Natal.

Agora é apenas questão de tempo para que anunciem formalmente a união.

Lira retorna a Brasília para negociar veto de R$ 5,6 bi a emendas

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), entra em campo nesta semana para discutir o veto do governo federal de R$ 5,6 bilhões a emendas de comissão previstas no Orçamento de 2024. O valor foi vetado pelo presidente Lula em 22 de janeiro.

Lira retorna a Brasília uma semana antes do início dos trabalhos legislativos de 2024. O presidente da Câmara antecipou a volta para reunir líderes e decidir se os parlamentares vão derrubar o veto de Lula em sessão do Congresso Nacional.

Governo tenta negociar

Após a publicação dos vetos de Lula, o líder do governo no Congresso Nacional, Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), afirmou que o corte se deu pela “queda da inflação”.

A justificativa, no entanto, não agradou os congressistas. Nos bastidores, a expectativa é de que o veto seja derrubado. O governo, no entanto, tenta negociar com os parlamentares.

Fonte: Metrópoles.

*As opiniões contidas nesta sessão não refletem necessariamente a opinião dO POTI e são de responsabilidade exclusiva dos autores.