Rio Grande do Norte registra a maior redução da taxa de desocupação no País - O POTI

Rio Grande do Norte registra a maior redução da taxa de desocupação no País

A população ocupada na região Nordeste aumentou em 545 mil pessoas no primeiro trimestre de 2024. Foto: EBC.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) do país registrou um crescimento de 0,8% no primeiro trimestre de 2024, em comparação com o último trimestre de 2023, acumulando um crescimento de 2,5% nos últimos 12 meses. A taxa de desocupação também apresentou uma melhora, caindo para 7,9% no mesmo período, uma redução de 0,9 ponto percentual em relação aos 8,8% registrados no primeiro trimestre de 2023.

O Rio Grande do Norte apresentou a maior redução na taxa de desocupação entre os estados, com uma queda de 2,5 pontos percentuais, atingindo 9,6%. Este desempenho foi o melhor entre todas as unidades da Federação, conforme o 140º Informe Macroeconômico do Escritório Técnico de Estudos Econômicos (Etene) do Banco do Nordeste.

Nas regiões do país, o Nordeste e o Sudeste apresentaram quedas nas taxas de desocupação de 1,1 e 1 ponto percentual, respectivamente. Apesar do recuo em todos os estados do Nordeste, a taxa de desocupação na região ainda é a maior do Brasil, situando-se em 11,1%.

A população ocupada na região Nordeste aumentou em 545 mil pessoas no primeiro trimestre de 2024, um crescimento de 2,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Sergipe liderou esse crescimento com um aumento de 7,3% na população ocupada, seguido pelo Rio Grande do Norte (6,0%) e Paraíba (5,2%).

O Rio Grande do Norte também registrou a maior redução regional na taxa de informalidade, junto com a Bahia, com uma queda de 3,5 pontos percentuais. A taxa de informalidade no estado é agora a menor entre os estados nordestinos, se situando em 42,4%. No total, estima-se que 11,4 milhões de trabalhadores estão no mercado informal no Nordeste.

A renda média per capita no Brasil cresceu 10% no primeiro trimestre de 2024, alcançando o maior valor dos últimos 12 anos, de acordo com o IBGE. As regiões Nordeste (+11,5%) e Sudeste (+10,4%) tiveram um crescimento real do rendimento acima da média nacional. Entre os estados, Alagoas liderou com um crescimento de 18,2%, seguido por Minas Gerais (+17,2%), Rio Grande do Norte (+16,9%), Paraíba (+16,1%) e Bahia (+16,0%).

Os bons números da economia norte-rio-grandense, compilados pelo Etene, trazem-nos a certeza de que estamos no caminho certo. O Banco do Nordeste aplicou cerca de R$ 4 bilhões no estado somente em 2023, um crescimento de 49% em relação ao ano anterior. Claro que um volume significativo de recursos como este, em sua maior parte no financiamento do investimento de longo prazo, vai refletir positivamente nas atividades econômicas e, por conseguinte, na ampliação do emprego e na renda dos potiguares“, afirmou Jeová Lins de Sá, superintendente do Banco do Nordeste.