RN passa a oferecer cirurgias para corrigir fissuras labiopalatinas em adultos - O Poti News

RN passa a oferecer cirurgias para corrigir fissuras labiopalatinas em adultos

Inicialmente, as cirurgias em adultos serão realizadas semanalmente no Hospital Coronel Pedro Germano. Foto: Ascom/Sesap.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) do Rio Grande do Norte realizou a primeira cirurgia para correção de fissuras labiopalatinas em adultos. Coordenado pela Sesap, o procedimento teve lugar no Hospital Central Coronel Pedro Germano, em Natal, contando com uma equipe multidisciplinar composta por cirurgiões bucomaxilofaciais, cirurgiões plásticos, anestesistas e enfermeiros.

O procedimento específico adotado foi a cirurgia de enxerto ósseo, destinada à reconstrução do osso maxilar afetado pela fissura labiopalatina. Inicialmente, as cirurgias em adultos serão realizadas semanalmente no Hospital Coronel Pedro Germano, com a expectativa de atender pelo menos 50 pacientes ao longo do próximo ano.

As cirurgias visam melhorar a qualidade de vida dos pacientes, facilitando funções essenciais como alimentação, fala e audição. Além, de contribuir para o aumento da autoestima dos pacientes, frequentemente sujeitos a preconceitos e discriminação.

O início dos procedimentos é fruto de uma colaboração entre a Sesap, o Núcleo de Saúde Bucal, o Núcleo de Atendimento Integral ao Paciente com Fissura Labiopalatina (NAIF), vinculado ao Centro Estadual de Reabilitação e Atenção Ambulatorial Especializada (CERAE), e o Hospital da Polícia Militar, juntamente com a Justiz Terceirização e a Coopanest.

Cirurgias em Crianças e Adolescentes

Desde 2015, crianças e adolescentes com fissuras labiopalatinas já recebem tratamento pelo Sistema Único de Saúde no estado. Os procedimentos são conduzidos no Hospital Maria Alice Fernandes.

O NAIF é responsável pelo acolhimento, atendimento e orientação de todas as pessoas com fissura labiopalatal, exceto os residentes em Natal com idade entre 0 e 18 anos, que são atendidos no Hospital Infantil Varela Santiago. O núcleo também insere os dados dos pacientes no Sistema de Cadastramento de Pessoas com Fissura Labial e Palatina, que visa cadastrar e acompanhar os nascidos com essa condição.

Tratamento

O tratamento da fissura labiopalatina geralmente envolve uma série de cirurgias, iniciadas nos primeiros meses de vida. O Rio Grande do Norte disponibiliza atendimento para adultos que não foram tratados na infância, sendo o encaminhamento realizado pela Atenção Primária à Saúde do município ou por demanda espontânea via e-mail. O cadastro no CADUF é essencial e pode ser realizado por um formulário na internet.