Energia renovável: RN chega a 24,6 gigawatts de potência instalada - O Poti News

Energia renovável: RN chega a 24,6 gigawatts de potência instalada

Dados constam na nova edição do informativo do setor de energético potiguar. Foto: Ascom/Potigás.

De acordo com o estudo divulgado pela Coordenadoria de Desenvolvimento Energético do Estado (Coder), a potência energética instalada no Rio Grande do Norte atingiu a marca de 24,6 gigawatts (GW), consolidando o estado como polo da geração de energia. A matriz elétrica do Estado é predominantemente composta por fontes renováveis, alcançando 98% do total de recursos energéticos, com apenas 2% provenientes de fontes não renováveis.

O setor de energias renováveis no estado conta com 681 empreendimentos comercializados e outorgados. A energia eólica lidera, representando 56,5% dos empreendimentos, seguida pela energia solar, que contribui com 38% da matriz. Além disso, o informativo apresenta a presença de empreendimentos de biomassa, hídricos e, ainda, 34 usinas de energia fóssil, fonte não renovável.

Os municípios de Assú e Serra do Mel se sobrepõem na produção energética, somando o maior número de empreendimentos com potência outorgada em 2023. Em termos de investimentos, as energias renováveis atraíram R$ 22,5 bilhões, com R$ 17,1 bilhões destinados à energia solar e R$ 5,4 bilhões à energia eólica.

Complexo eólico em Parelhas, que gerará energia para a Amazon, recebe financiamento de R$ 1 bilhão da Sudene

O relatório da Coder aponta para um notável crescimento da energia solar, com um aumento de 333% no total de projetos fotovoltaicos outorgados entre 2021 e 2023. A geração distribuída foi responsável por um grande incremento, conectando 18.353 novos sistemas de placas fotovoltaicas à rede elétrica da distribuidora de energia em 2023, com destaque para a classe residencial, que concentrou 83% dos sistemas instalados no último ano.

No âmbito da produção de petróleo e gás, o informativo destaca a produção onshore (em terra) em 2023, registrando 9,9 milhões de barris de petróleo e 311.126 milímetros cúbicos de gás. Observa-se um aumento de 72% na produção de gás natural onshore ao longo de 8 anos, com um adicional de 11% entre 2022 e 2023.

A redução na produção de petróleo em 2023, comparada a 2022, é atribuída ao processo de desinvestimento da Petrobras no estado, que, até 2016, detinha 97% da produção. Atualmente, a empresa representa apenas 20% do setor, sendo substituída por produtores independentes, como a 3R Petroleum, que detém 43,83% da produção onshore, e a Potiguar E&P S.A., com 34,46%.

A 3R Petroleum, que adquiriu o Polo Potiguar em 2023, é responsável por 93% da produção offshore de petróleo e 13% da produção de gás natural. A Petrobras sinaliza a reinserção no estado por meio da prospecção de novas áreas em águas profundas na “Margem Equatorial”, com investimentos previstos de até 1,09 bilhão de dólares em 2024.

Parques de energia limpa do Rio Grande do Norte recebem aporte de R$ 26,8 milhões do FDNE